Tem África Aqui

capa-aqui-tem-africa-g

    O projeto “Tem África Aqui” visa a produção de uma temporada composta por seis apresentações de um espetáculo musical que levará ao palco a banda “Social Samba Fino” e o coral “Vozes de Angola”.

Consciente da influência africana na música brasileira, o “Social Samba Fino” realizará o projeto em parceria com o grupo “Vozes de Angola”, formado por 08 músicos com deficiência visual, todos vítimas da violência da guerra civil no final do século XX e da extrema pobreza predominante em Angola.

Os 08 cantores angolanos, vieram há 15 anos para o Brasil, ainda crianças, desacompanhados de seus pais, e aqui, desenvolveram suas aptidões musicais, criando um grupo vocal que tem como base as raízes da música Africana.

Dessa forma, os músicos brasileiros e angolanos, juntos, no mesmo palco, interpretarão 16 músicas de compositores brasileiros, como Gilberto Gil, João Nogueira, Nei Lopes, Luiz Melodia, Baden Powell, Vinícius de Moraes, Carlinhos Brown, Martinho da Vila e Jorge Ben Jor, que tenham em suas letras e em suas estruturas rítmicas, harmônicas e melódicas, fortes sinais da influência africana.

Dessa forma, os músicos brasileiros e angolanos, juntos, no mesmo palco, interpretarão 16 músicas de compositores brasileiros, como Gilberto Gil, João Nogueira, Nei Lopes, Luiz Melodia, Baden Powell, Vinícius de Moraes, Carlinhos Brown, Martinho da Vila e Jorge Ben Jor, que tenham em suas letras e em suas estruturas rítmicas, harmônicas e melódicas, fortes sinais da influência africana.

É importante ressaltar, a emocionante história e exemplo de vida do grupo angolano. Tais jovens, são vítimas da guerra civil angolana, que teve início em 1975, quando Angola se tornou independente de Portugal.

Devido aos constantes conflitos entre grupos populares armados e o governo de Angola, os jovens integrantes do grupo se tornaram deficientes visuais, e perderam o contato com seus pais e demais familiares, refugiando-se no Brasil no ano de 2001, adotando como seu novo lar, a cidade de Curitiba – PR, onde formaram o grupo coral “Cantores de Angola”, que posteriormente tornou-se o grupo “Vozes de Angola”, já tendo inclusive, ficado em primeiro lugar num festival de música em São Paulo.

Sendo assim, o projeto visa, além de oferecer ao público um espetáculo musical com riquíssimo conteúdo musical, mostrar o quanto a arte e a cultura podem, se não apagar, pelo menos amenizar as dores e agruras causadas pela violência e a impetuosidade causadas pela guerra.

Lei de Incentivo:

Este projeto está aprovado na Lei Estadual de Incentivo à Cultura ProAC.

tem-africa-aqui-hulk